quinta-feira, 29 de outubro de 2015

Exercício de Hoje: ACEITAR


Hoje, a tudo que acontecer, a tudo o que eu olhar, 

a tudo o que eu precisar fazer, irei Aceitar. 

Nada além de Aceitar.

Vai acontecer o que precisar acontecer. Sem julgamentos, sem críticas.

Por mais incoerente que pareça ser, hoje eu Aceito que tudo está bem.

‘EU SOU A PLENA ACEITAÇÃO DA VIDA COMO PRECISA SER’



Na maioria das vezes, meu primeiro impulso ao me sentir injustiçado é comentar o ocorrido, para um ou dois ou até mais de meus familiares, chamar um amigo para contar. Repetir o equívoco tantas e tantas vezes parece que alivia o sentimento incômodo – dizem as pesquisas que podemos multiplicar o inconveniente para uma média de 10 pessoas até.

Neste ciclo de reclamações e opiniões divergentes, mais intensamente essa situação é reforçada quando mentalmente as pessoas passam a visualizar o que estou reclamando e com isso toda a energia pesada que ela carrega se propaga no mundo.

Imagine agora quanto mais estrago não acontece com aquela reclamação repetitiva que já me acostumei a fazer, seja sobre o tempo, a temperatura, o trânsito, o lixo, o vizinho, a economia, a política e todo o resto que sai facilmente da boca em conversas informais, algumas vezes só porque não tem mais do que se falar. Sabe aquele momento amedrontador quando se percebe que os assuntos vão acabando e o silêncio ameaça aparecer? Na grande maioria das vezes perdemos aí a oportunidade de gerar silêncio!


O exercício de hoje é de Aceitação! A tudo hoje eu irei Aceitar.

Contudo, aceitar não é suportar nem se submeter. Quando eu suporto ou me submeto há resistência interna, e isso gera ainda mais sofrimento, reverberando em tudo à minha volta. Aceitar é acolher, observar internamente onde o que acontece engata e ainda assim permanecer em paz. Evitar o impulso imediato de reclamar. Olhar para a situação e não se envolver com ela.

A tudo hoje eu irei Aceitar. Hoje não irei me identificar com nenhuma emoção. Vou olhar, dar um passo para trás, respirar, aceitar, como uma cena de filme que eu assisto e que talvez não me pareça muito agradável. Mas vou lembrar que é somente uma cena desse filme que eu já venho assistindo há algum tempo, não vou dar muito significado, é uma cena secundária em que não preciso demandar muita atenção. Vou Aceitar e retornar para o meu centro.

Quando eu Acolho e Aceito, inicio o processo de desapego que dá origem instantaneamente ao Amor e de forma tão sutil quanto intensa, se realiza em mais um Passo Adiante nessa caminhada evolutiva.

Render-me de modo incondicional ao que quer que aconteça na vida revela maturidade emocional, porque não permito que o que acontece no mundo venha interferir naquilo que Eu Sou! É interessante Observar os resultados a partir dessa Aceitação incondicional.

Por mais incoerente que pareça ser, hoje eu Aceito que tudo está bem.

‘EU SOU A PLENA ACEITAÇÃO DA VIDA COMO PRECISA SER’

www.psicomatriz.com.br - www.harmonizare.com.br - Lucimara Stráda